O Natal Americano

Quando falamos em Natal, mesmo vivendo num país tropical, não tem como não pensar em neve, lareiras e pinheiros, o típico Natal vivido por países de clima frio.

Nos EUA, dezembro é um mês muito especial, onde, apesar do consumismo, é um tempo de sonho, esperança e reflexão e as pessoas vivem um clima de generosidade, se doando em trabalhos voluntários, levando um pouco de alegria e brilho aos irmãos menos afortunados, fazendo presente o verdadeiro Espírito Natalino. O brilho das luzes decoram casas e ruas belamente, envolvendo as pessoas que também usam enfeites e roupas com as cores do Natal. Essa é uma época muito marcada por tradições que tornam tudo muito mágico. Dentro das residências reina majestosamente a árvore de Natal e os americanos trocam as convencionais roupas de cama, banho e mesa por outros com motivos natalinos. Saem do forno os biscoitinhos de gengibre, em formato de bonequinho, que não podem faltar! Cartões de Natal são enviados pelo correio como antigamente e na TV podemos assistir a filmes e desenhos típicos de Natal. Para as mesas, belos arranjos de velas, folhagens verdes, pinha e flores.

E entre as flores mais marcantes, a Poinséttia, popularmente conhecida no Brasil por Bico de Papagaio, nativa da américa central, é a mais famosa flor natalina nos EUA. Usada pelos astecas com propósitos decorativos e medicinais, a Poinséttia teria ficado no anonimato se não fosse pelo Botânico Joel Roberts Poinsett (1779-1851), o primeiro embaixador americano no México que durante uma visita à área de Taxco em 1828, se encantou pelas folhagens vermelhas e imediatamente enviou algumas mudas para a sua estufa na Carolina do Norte onde começou a propagar a planta, enviando a amigos e jardins botânicos.

Na verdade, é nas “pseudo-umbelas” que encontramos as pequenas flores da Poinséttia e suas brácteas vermelhas ou brancas são normalmente confundidas com pétalas.

São vários os motivos que a tornou a flor símbolo do Natal. O seu formato de estrela é associado à Estrela de Belém e a cor vermelha ao sangue de Jesus. No México, existe uma lenda muito bonita que conta a história de uma menina chamada Pepita, que, sem condições de comprar um presente para levar para o Menino Jesus no presépio da igreja na missa de Natal, foi recolhendo plantinhas pelo caminho por onde passa. Quando chega à igreja, ela se dá conta do presente tão pobre que ela tinha a oferecer e chora de tristeza. No entanto, ela ofertou aquele matinho com tanto amor que, ao colocá-lo no presépio, em frente a toda a congregação, as folhas ficam tingidas de uma cor brilhante e vermelha. O povo reunido para a Eucaristia fica espantado e declara o acontecido como um milagre.

Que tal colorir mais o Natal daquele amigo ou ente querido tão longe de casa? Aqueça o com o vermelho acolhedor da Poinséttia!